BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


A arqueologia da violência
(Pierre Clastres (resumo feito por Paulo Cézar))

Publicidade
Capítulo 5 – Mitos e ritos dos índios da América do Sul

Primeiramente, o autor diante da diversidade de crenças e culturas existentes no meio indígena achou por bem adotar critérios para poder subtrair a gama enorme de informações advindas dessa fonte etnográfica.

As sociedades da floresta

A relação do povo indígena com a floresta é de uma simbiose ímpar. Os acontecimentos que ocorrem na floresta são interpretados não de uma forma isolada, mas dentro de um contexto que ultrapassa a análise feita por um indivíduo comum.

Os Deuses:

A visão míope adotada pelo povo europeu em relação à crença é inútil para o povo indígena. O povo indígena não cultua a figura de um Deus isolado, diferentemente do que faz o mundo ocidental, o índio cultua o sol, a luz, as estrelas, constelações, etc. Noutras palavras, procura harmonizar ao invés de individualizar.
Os rituais da morte

O povo indígena divide o culto aos mortos antigos e aos mortos recentes. Aos mortos antigos se tem a figura dos mitos que garantem a cultura, a sociedade indígena. Resguardada as particularidades das crenças de cada cultura as almas de seus mortos podem variar. O enterro de seus corpos serve para separar o defunto da alma. Na América do Sul, os índios pensam em apagar da memória a figura dos mortos. Estes são enterrados de tal forma que se caracterize a separação entre vivos e mortos. Todos os pertences do índio morto são queimados para que a ruptura seja por completo.



Resumos Relacionados


- Arqueologia Da Violência

- Caminha E Gândavo: A Visão Do Indígena

- Brasileiros Portugueses

- Indíos Brasileiros - Educação

- Novas Identidades Entre índios Da Amazônia E Nordeste Brasileiro.



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia