BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


É Grave, Dr. GOOGLE?
()

Publicidade
                    O Google foi promovido a doutor. O grupo dos cibercondríacos, pessoas que costumam buscar na internet informações sobre os sintomas que apresentam, existe desde o aparecimento das primeiras páginas de busca, e não para de crescer. Segundo dados da empresa Harris Interactive, em 1998, 54 milhões de americanos usaram a internet para encontrar dados sobre doenças. No começo de 2009, esse número era de 154 milhões de pessoas, o equivalente a 67% da população americana.
                     Diante de tanta procura, o Google estuda criar o Google Health ("Google Saúde"), ferramenta que promete agregar todo tipo de informação ligada à área de saúde. Um dos maiores desafios enfrentados pela empresa é reunir todo o material sem promover a automedicação. Afinal, pessoas não treinadas em medicina podem interpretar de forma errada os sintomas e achar que têm problemas muito mais graves do que na verdade têm.
                      Mas, em alguns casos, a pesquisa virtual anterior a uma consulta com o médico pode ser uma aliada. É o caso do transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), transtorno neurológico que causa desatenção e inquietude. Como a doença é pouco conhecida mesmo entre os profissionais da psicologia, os pacientes que têm os sintomas acabam fazendo o próprio diagnóstico ao ler uma reportagem ou pesquisar sobre o tema. Dependendo do tipo de doença, fazer parte de uma comunidade ou grupo de discussão na internet pode até mesmo ajudar os pacientes a se manterem mais firmes no tratamento.



Resumos Relacionados


- Google Sites

- Www.google.com.br

- O Que é A “cibercondria” E Como Preveni-la

- Escala De Auto Avaliação De Tdah Para Adultos

- Médicos Alertam Para A Presença Do Tdah Em Adultos



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia