BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Trilhos de natureza pelo Cabo da Roca
(Carlos Neves)

Publicidade
O Cabo da Roca, ponto mais ocidental da Europa continental, também chamado "Focinho da Roca" ou "Promontório da Lua", fica no Parque Natural Sintra-Cascais, tem uma paisagem belíssima e grande biodiversidade, pelo que merece uma visita. Sugerimos alguns trilhos.

Da Praia do Abano até à da Adraga, encontramos muitos locais interessantes, caminhando por arribas interrompidas por linhas de água que desaguam em pequenas praias, escondidas e de difícil acesso, que despertam a nossa curiosidade. A beleza paisagística, biodiversidade e geologia da zona devem ser apreciadas com calma. Os percursos são óptimos para fotógrafos, amantes da natureza e amantes de desportos como o surf, megulho ou escalada.

Com Sintra pelo caminho: vindo de Lisboa, vale a pena apreciar a paisagem e parar em Sintra para provar os famosos pastéis. Pode-se contornar a serra pelo Norte, seguir pelo IC19 até Ranholas e passar a rotunda em direcção a Sintra. De Sintra segue-se em direcção a Colares, por uma bela estrada cheia de curvinhas, muito bonita nos fins de tarde, que acompanha a antiga linha dos caminhos de ferro que ia até à Praia das Maçãs. Em Colares, viramos para Sul, passamos a Azóia e chegamos finalmente ao Cabo da Roca. Pode-se deixar o carro numa rotunda mesmo no fim da estrada. Primeiro há que visitar o farol e o cruzeiro na pontinha do cabo, e que tem uma vista espectacular sobre as praias da Aroeira e da Ursa.

A Malhada do Ouriçal: a partir do cabo, desce-se em direcção a Sul, pelas escarpas, chegando a um ribeiro que cai em cascata sobre a praia. Aí vira-se à direita e começa a descida mais íngreme, pelas rochas. Malhada é o que se chama a uma praia de seixos, sem areia. Da praia avistam-se algumas belas rochas emergindo do mar. Se a maré estiver vazia podemos passar para Norte e seguir outro trilho até ao cabo. Aqui e ali existem grandes pedras caídas, pequenas figueiras nascidas no meio delas, e durante uma parte do ano o cravo Dianthus cintranus, endémico da zona. Sendo uma espécie em perigo de extinção, estão protegidos por lei, e é de evitar pisá-los. Sobe-se por um trilho até à parte mais escarpada da falésia e depois continuamos com a ajuda duma corda que aí existe, o que implica já uma certa agilidade.

Do Cabo da Roca à Praia da Aroeira: parte-se do cruzeiro do Cabo da Roca, seguindo para Sul, junto da falésia, com muita atenção para conseguir encontrar o acesso. Tem de se descer com a ajuda da corda, com alguma dificuldade. Devemos fazê-lo quando a maré estiver a descer, pois o percurso demora cerca de três horas. Desce-se por um carreiro com uma bela vista que vira para norte. Depois da Malhada do Cedouro, temos de passar sobre rochas onde existem milhares de caranguejos e algas, mesmo junto ao mar. À frente fica a praia da Aroeira. Quando a areia está mais plana, a maré deixa um grande espelho de água junto ao mar. Na ponta Norte de praia existe uma pedra em forma de arco e a Pedra do Cavalo. Voltando um pouco atrás, descobre-se o trilho que sobe a falésia pelo vale. No cimo existe uma estrada de terra batida. Podemos virar a Sul para voltar, ou seguir em frente, onde nos aparece a vista sobre a Praia da Ursa.

A Praia da Ursa: entre a Azóia e o Cabo, existe uma estrada de terra batida algo acidentada que nos leva à Ursa. Existe um ponto no cimo do monte onde podemos deixar o carro. Depois, descemos por um trilho pedestre lindíssimo, de onde se avistam a Pedra da Ursa e o Gigante, rochedos enormes isolados da falésia. No fim do carreiro, desce-se por umas rochas à direita, em direcção ao vale e à ribeira que vai dar a uma cascata sobre a Praia da Ursa. Temos de atravessar a ribeira para Norte e de novo para Sul. Depois contornam-se umas pedras, pelo Norte, em direcção à praia. Esta é bastante conhecida e podemos encontrar outros visitantes. A Norte existe uma estranha inclusão de calcário na encosta granítica, um arco na Pedra da Ursa e uma pequena gruta. A Sul existe uma bela zona rochosa com poças na maré baixa. Na ponta sul da praia existe um carreiro que sobe ao logo do vale e nos leva de volta em vinte minutos.



Resumos Relacionados


- Destino: Sintra

- Sobre A Zona Intertidal De Uma Praia

- Melhores Praias De Portugal

- Da Costa Da Caparica Ao Convento Dos Capuchos

- A Praia



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia