BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


História Concisa de Portugal
(José Hermano saraiva)

Publicidade
Muitos autores têm procurado resposta para esta pergunta: a partir de que momento se deve considerar que Portugal foi um estado independente? A dificuldade que todos sentiram em encontrar uma solução resulta de que a independência portuguesa não se verificou como acontece com os estados modernos, num momento determinado e politicamente bem definido. Foi sendo forjada ao longo de um processo que se desdobra em várias etapas, das quais as mais importantesd precem ter sido a revolta de D. Afonso Henriques e a conquista do governo do condado, na conferência de Samora.A independência portuguesa não pode desligar-se do quadro geral da politica dos reinos cristãos da peninsula. O rei Afonso VI tinha conseguido impor o seu poder à grande parte da Espanha. Os solenes titulos que usou traduzem a intenção de acabar ou de atenuar as fronteiras interiores que retalhavam a Peninsula e de reconduzi-la a uma unidade política, pelo menos na base da subordinação a um poder imperial, um poder que reconhecia realezas subordinadas.Quando Afonso VI morreu, desencadeou-se uma reacççao forte e generalizada contra o crescente poder dos Leoneses. A herdeira do reino, rainha Urraca, disputou durante anos com o rei de Aragão a chefia política da Espanha cristã e discutiu também com o arcebispo de compustela a autoridade sobre aGaliza. O conde das Astúrias revoltou-se em Portugal. É neste periodo que se situa o famoso cerco de D, Afonso Henriques em Guimarães, ao qual anda ligada a tradição da lealdade de Egas Moniz, magnate portucalense que já anteriormente tinha desempenhado as altas funções de temens da terra de Lamego e que na útima fase da vida foi designado Dagnifer Curiae de D. Afonso Henriques. Um lance de grande importância no processo da independência, foi a revolta de D. Afonso Henriques contra o governo da condessa D. Teresa e do conde Fernão Peres de Trava. As tropas de ambas as facções encontraram-se em 1128 no campo de S. Mamede junto ao castelo de Guimarães, onde o exército galego foi derrotado. Ainda hoje se mantém o topónimo Campo do Torneio que faz luz sobre o verdadeiro carácter do encontro que não foi uma batalha campal como Herculano descreve, mas um torneiro aprazado entre os dois partidos rivais, que assim confiavam à sorte das armas a decisão de quem ficaria a governar Portugal.Entretanto, os reinos de Leão e Castela lutavam duramente para tentar jugular o movimento que um pouco por toda a parte aspirava a situações de autonomia regional. Um neto de Afonso VI filho do conde Raimundo e da rainha Urraca, fez-se coroar imperador de toda a Espanha, numa cerimónia solene em 1135. Nos anos seguintes, houve guerras entre o imperador e o infante português. Por fim restabeleceu-se a paz de Tui e Afonso Henriques prometeu ao imperador fidelidade, segurança e auxilio contra os inimigos.



Resumos Relacionados


- Afonso I De Portugal

- D. Teresa Primeira Rainha De Portugal

- O Bobo

- D. Afonso Henriques

- Os + Belos Castelos De Portugal



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia