BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Tanatologia
(luxjus)

Publicidade
TANATOLOGIA

CONCEITO: é a parte da Medicina Legal que estuda a morte e suas conseqüências jurídicas.

MORTE: é a cessação dos fenômenos vitais, por parada das funções cerebral, respiratória e circulatórias, com surgimento dos fenômenos abióticos, lentos e progressivos, que causam lesões irreversíveis nos órgãos e tecidos.

MODALIDADES DO EVENTO MORTE:

- morte aparente ? estados patológicos do organismo simulam a morte, podendo durar horas, sendo possível a recuperação pelo emprego imediato e adequado de socorro médico.

- morte relativa ? estado em que ocorre parada efetiva e duradora das funções circulatórias, respiratórias e nervosas, associada à cianose e palidez marmórea, porém acontecendo a reanimação com manobras terapêuticas.

- morte absoluta ou morte real ? estado que se caracteriza pelo desaparecimento definitivo de toda atividade biológica do organismo, podendo-se dizer que parece uma decomposição.

FENÔMENOS CADAVÉRICOS:

- abióticos ou imediatos ou avitais ou vitais negativos

- fenômenos consecutivos

- fenômenos especiais

- fenômenos destrutivos

- putrefação ? é uma forma de transformação cadavérica destrutiva, que se inicia, logo após a autólise, pela ação de micróbios aeróbios, anaeróbios e facultativos em geral, sobre o ceco; o sinal mais precoce da putrefação é a mancha verde abdominal.
- maceração ? é um fenômeno de transformação destrutiva em que a pele do cadáver, que se encontra em meio contaminado, se torna enrugada e amolecida e facilmente destacável em grandes retalhos, com diminuição de consistência inicial, achatamento do ventre e liberação dos ossos de suas partes de sustentação, dando a impressão de estarem soltos; ocorre quando o cadáver ficou imerso em líquido, como os afogados, feto retido no útero materno.

- fenômenos conservadores

- mumificação ? é um processo transformativo de conservação pela dessecação, natural ou artificial, do cadáver.

- natural ? é quando o cadáver é submetido a evaporação rápida de seu componente líquido e os tecidos adquirem aspecto de couro curtido, ou seja, múmia, ocorrendo em local quente e seco.

- artificial ? com emprego de processo, resinas, formol e outras substâncias conservadoras, ou seja, embalsamamento.

- saponificação ? é um processo transformativo de conservação em que o cadáver adquire consistência untuosa, mole, como o sabão ou cera, às vezes quebradiça, e tonalidade amarelo-escura, exalando odor de queijo ordinário e rançoso; as condições exigidas para o surgimento da saponificação cadavérica são: solo argiloso e úmido, que permite a embebição e dificulta, sobremaneira, a aeração, e um estágio regularmente avançado de putrefação.



Resumos Relacionados


- Morte Cerebral, Afinal Do Que Se Trata?

- Ortotanásia

- Sexologia Forense

- Medicina Legal - Conceito - Classificação

- Entomologia Forense



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia