BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Períodos Literários
(Literatura Comentada)

Publicidade
PERÍODOS LITERÁRIOS

A ordenação de fenômenos literários no tempo denominamos período literário, escola ou movimento literário.
Cada período é determinado por critérios estéticos e critérios de tempo.
Critérios estéticos entende-se por conjunto de normas que dominam a literatura num dado momento.
Estilo é um fato histórico determinado pela ideologia de um dado momento e suas manifestações culturais.
Existem obras que preponderam sobre outras e passam para a história, assim como existem obras que convivem em mais de um estilo.
Levando-se em consideração, critérios estéticos, estilo, critérios de tempo e fatos históricos a literatura está ordenada por períodos literários.


CANTIGAS MADIEVAIS

Surge na Idade Média a poesia cavalheiresca que diferentemente da poesia clássica, trás como tema o amor, a ternura e a intimidade do sentimento, a ansiedade e a devoção à amada.
As cantigas medievais de dividiram em: cantigas de amor, cantigas de amigo e cantigas de escárnio.
As cantigas de amor tinham características da poesia cavalheiresca cortês, cantava a figura da amada como uma imagem ideal, o homem ousava confessar o seu amor impregnado de sensualismo e audácia, diferente de fases anteriores.
As cantigas de amigo, nascidas na comunidade rural e surgidas da inspiração popular.
As cantigas de escárnio denunciavam irregularidades na vida doméstica e familiar, de gênero satírico.
Além da poesia, a literatura medieval inspirou romances de cavalaria que descreviam as aventuras do Rei Artur, herói mítico.
No Brasil, a obra de Anchieta apresenta traços de medievalismo.


RENASCIMENTO

A arte renascentista liberta-se dos dogmas religiosos, faz oposição ao teocentrismo e faz culto aos valores da Antiguidade Clássica e humanística, o renascimento fixa-se no mundo científico.
O homem passa a ser valorizado pela sua capacidade de conhecimento, o sentimento religioso não desaparece, porém, deixa de ser primordial.
O renascentismo valoriza a razão voltando-se para a realidade e colocando o homem no centro do mundo, é um estilo de elite antipopular impregnado de cultura latina. Imita as normas estéticas de Aristóteles e de Horácio.
O renascimento brasileiro recebeu influência da literatura portuguesa, por Camões.




MANEIRISMO

O Maneirismo foi um estilo de elite, reduzido a um grupo de intelectuais e teve como características; a fusão do cômico e do trágico, a figura do herói, ora ridículo, ora sublime e a síntese de elementos sensuais e intelectuais. Com uma linguagem carregada de metáforas e jogos de palavras misturando a realidade e a fantasia.
São exemplos de maneiristas: Cervantes, com Dom Quixote e Shakespeare.
A literatura brasileira não teve obas maneiristas.


BARROCO

O estilo barroco é considerado uma contra-reação aos conceitos renascentistas, uma tentativa de retorna à tradição cristã, com objetivo de conciliar o saudosismo da religiosidade e a impossibilidade de negar os valores mundanos.
Uma das características mais marcantes do estilo barroco é o uso exagerado de ornamentos e a falta de clareza e elegância, tornando a arte extravagante e confusa. O paradoxo se manifesta na linguagem, pelo uso de antíteses, isto é, uma palavra oposta a outra em significado na tentativa de unir idéias contraditórias.
O barroco demonstra a perplexidade existencial do homem que se disfarça no ludismo das formas, refletindo-se na construção dos palácios e mosteiros da época, nos rituais das cortes de Luís XVI, na França e na de D.João V, em Portugal.
No Brasil, o estilo Barroco se manifesta na poesia de Gregório de Matos, na escultura de Aleijadinho, na pintura de Ataíde e na música de Lobo de Mesquita.


NEOCLASSISMO

O neoclassismo embasadonas teorias poéticas de Aristóteles e Horácio prega o crível, o possível e o provável. Na época de Diderot, Rosseau e Montesquieu, que acreditavam na melhoria da vida social graças a divulgação do saber; a essa tendência denominou-se Iluminismo.
Paralelamente ao Neoclassismo e Iluminismo aparece o Arcadismo, que se liga a Arcádia, região da Grécia Antiga habitada por cantores e pastores que levam uma vida simples, em contato com a natureza e que passa a ser exaltada como um bem perdido.
A evocação mitológica por nomes, situações e sentimentos que pertenceram ao patrimônio clássico, uma escassa dicção pessoal do poeta e a generalização do estilo tornaram os poemas convencionais e monótonos.
Os neoclassistas brasileiros são: Tomás Antônio Gonzaga, com Marília de Dirceu, e os poetas Cláudio Manoel da Costa, Alvarenga Peixoto, Basílio Gama e Santa Rita Durão, mineiros de Vila Rica.



Resumos Relacionados


- LÍngua E Literatura: Unidade 11.

- Os Cancioneiros Medievais

- Arcadismo (1768-1808) - Poetas Da InconfidÊncia Mineira

- Classicismo Em Portugal

- Quadro Comparativo Classicismo E Trovadorismo



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia