BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Lá Do Interior
(José Alves Barbosa.)

Publicidade
Essa história se passou na no interior do nosso Brasil, mais precisamente em Vertentes - PE, é um conto de gente que viveu na cidade e toda a narrativa é verdadeira.
Hoje irei contar uma história de seu Apolinário:

Seu Apolinário era o único sapateiro da pequena e pacata cidade de Vertentes, era sexta-feira 13, logo de manhãzinha chegou um garoto batendo em sua porta:
- Seu Apolinário.
- Ele respondeu : O que foi menino, quem morreu?
- Não é que mãe mandou eu essa sandália para o senhor consertar.
- Coloca ela aí que mais tarde dou um jeito.
- Que horas venho pegar? Perguntou o menino.
- ´Lá pras três hoas da tarde.

Era sete da manhã quando ele foi até a venda de seu Duda fazer umhas comprinhas, chegando lá comprou : uma margarida, 12 ovos e 5 pacotes de vitamilho.
Quando ia voltando pra casa, ao passar em frente a uma marcenária, Doutor de Rosa - que era ajudante nessa marcenário falou:
- Seu Apolinário, tudo bom ?
Ele se aproximou e respondeu:
- Tudo do jeito que Deus quer.
Doutor de Rosa disse:
- O negócio tá dando.
- Por que ? Perguntou seu Apolinário.
- É margarina e fuba da boa e até ovos de granja.
Seu Apolinário imediatamente jogou os ovos no meio da rua, rasgou os pacotes de vitamilho e estourou a margarina, e saiu resmungando para casa.
Quando chegou em casa a mulher perguntou:
- Cadê as compras Apolinário?
- Por favor não me pergunte mulher, por favor...
- Por que você é tão ignorante Apolinário?
- Eu ignorante, que nada.

Foi trabalhar sem tomar café, na hora do almoço comeu feito um leão, tirou aquela soneca e por volta das 14 horas foi até a tenda trabalhar.

Era exatamente cinco pras três, quando o menino que tinha levado a sandália pela manhã chegou:

- E aí seu Apolinário, tá pronta?
- Tá sim.
- Quanto é?
- Dez Reais.
O menino pagou e levou a sandália.

menos de cinco minutos depois o menino chegou de novo:

- Seu Apolinário, mãe mandou o senhor pregar mais umhas broxinhas, pois ela acha que não vai segurar.
- Ele pegou e disse: Venha pegar daqui a meia hora.

Quando o menino chegou, ele entregou a sandália.

O menino não abriu a bolsa, e ao chegar em casa a mãe dele quase desmaia:
- O que aconteceu Júnior?
_ Olha a desgraça que fizeram em minha sandália.

A sandália era só broxinhas, não tinha um espaço que não tivesse preenchida de broxinhas...

- Vá lá e pergunte o que aconteceu? disse a mãe ao menino.

Chegando lá, perguntou:
- Seu Apolinário o que aconteceu?
- Sua mãe não é mais sabida do que eu, não mandou eu pregar mais umhas broxinhas, eu preguei...
Pegou o dinheiro e devolveu ao menino.

É por essas e outra que seu Apolinário era considerado o homem mais ignorante das Vertentes.



Resumos Relacionados


- A Farinha Da Bagunça

- Menino De Asas

- O Que é Pnl?

- Marcelino Pão E Vinho

- A Bolsa, A Bolsinha E A Bolsona.



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia