BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Pôquer Dos Deuses
(Miguel Dias)

Publicidade
                                                                                                                   Em o Pôquer dos Deuses,Miguel Dias propões,como diz o título,um jôgo ? o dos mais difíceis ? próprio dos Deuses.Tanto assim,que o personagem,Luca,que dá início à narrativa,se encaminha por rumos totalmente inesperados eperdendo ou ganhando,vai apostando nos Deuses,até o fim!.Seu desejo é ?arrastar as fichas?,mas para saber se consegue,recomendo à leitura.                                                    Antes disso,para levar o leitor à curiosidade da imaginação brilhante do autor,transcrevo dois trechos,que são bastante sugestivos:                                                    ?Diversas vezes sonhou com a chegada de um homem a quem entregará seu corpo ,sua alma.homem esse capaz de mitigar a lascívia que perenemente lhe queima as carnes deixando-a á beira da loucura, sobretudo nas noites em que a lua se aproxima do  plenilunio, quando sua tesão torna-se irreprimível.Com a freqüência dos sonhos, visualizava detalhes da pessoa embora a face,envolta em névoa ,nunca fosse revelada.tem consciência de que o contato foi realizado,que o eleito busca a ilha.Exausta,adormece tão logo recosta a cabeça na rede?.....                                                    ?....Paris,final de primavera,18 graus.Choveu de madrugada.O ar está limpo,transparente.Tudo foi lavado.As cores tingem ? com nitidez e alegria ? o céu,as árvores,os jardins,os telhados  briques ,os monumentos,os prédios,o velho Sena.Há mais de dois mil anos o rio é cúmplice da cidade que se estabeleceu,pouco a pouco,entranhando suas margens.Passado e presente convivendo ,lado a lado,compartilhando momentos de dor e gloria.Em cada centímetro de chão,um acontecimento que entrou para a historia.Muito sangue correu,constante como o rio,para que Paris alcançasse a magnificiência de ser a cidade-luz...?                                                    Mas,talvez,,o ?ás da manga?,neste pôquer,esteja aqui,no trecho final:                                          ?...O dia desponta.Luca sobe na barca,recebe o calor de contas.O Mestre solta as amarras.Maria apaga o farol.Os espelhos cessam de refletir o luzeiro.O derradeiro facho afunda nas águas da barra...?

Edição: Novos Autores                              Edição; do Governo do  Estado do                                                 Rio de Janeiro



Resumos Relacionados


- Zodiac

- O Perfume: História De Um Assassino

- Daniel Deronda

- Life Says Impossible?????????

- Transport Management



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia