BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Tapetes a sua história
(enciclopedia dos tapetes)

Publicidade
A arte de fazer tapetes foi desenvolvida, provavelmente nas planícies de Ásia central há mil anos atrás. Os povos nómadas necessitavam de proteção dos invernos frios. Para além do aspecto utilitário contra o frio  tinham a vantagem de serem ao mesmo tempo úteis nas decorações para suas tendas. Os materiais usados na sua confecção provinham dos rebanhos de ovelhas, cabras e carneiros. Os teares, na sua forma mais simplificada, eram feitos de dois reforços de madeira fixados à terra e entre eles prendiam as peças a trabalhar. Estes teares horizontais, que são usados ainda hoje pelos nómadas, têm a vantagem de se dobrarem facilmente e poderem ser transportados de terra em terra, de acampamento para acampamento. Inicialmente os padrões destes tapetes eram de motivos geométricos ou curvilíneos. Os tapetes mais antigos feitos manualmente são raríssimos. O mais antigo que se conhece foi encontrado em 1947, em escavações na Sibéria. Depois da sua descoberta foi nomeado o Pazyryk-carpet ou Gorny-Altai carpet;mede 183x200 cm;a densidade do nó é de aproximadamente 360 000 nós pormetro quadrado. Este tapete tem uma densidade mais elevadada que a maioria dos tapetes actualmente. O padrão é muito interessante. Na sua orla podemos ver desenhados guerreiros com os seus respectivos cavalos. Este tapete foi manufacturado provavelmente na Arménia ou na Pérsia. Quando se encontrou estava embrenhado num bloco do gelo, o que contribuiu para a sua preservação. No século XVI, sob a proteção de imperadores e reis, a arte da tapeçaria foi desenvolvida na Persia e na India; a sua técnica de urdidura e o lado artístico da sua estampagem aprendia-se em oficinas das diversas cortes. Durante este período foi feito talvez o mais esplêndido tapete. o mais famoso no mundo, o tapete do Ardabil, que pode ser visto no Museu Victoria e no Museu de Albert em Londres; mede 534x1152 cm e foi manufacturado, provavelmente. na cidade de Kashanna Persia por Maqsud. O tapete data do ano 946 após a contagem do islão, que é 1539 dD. Durante três anos cinco pessoas fizerem este tapete, que foi requisitado por Shah Tahmasp para a mesquita de Safire. Originalmente eram dois tapetes, mas um foi sacrificado a fim restaurar o outro. O tapete melhor conservado pode ser visto no Victoria eno Museu Albert em Londres. As partes restantes do tapete usado para o restauro podem ser vistas no museu do condado de Los Angeles, EUA. O tapete é feito por nós persas, com lã e seda; com uma densidade de nó de 518.000 nós por metro quadrado. Foi vendido no século XIX a fim de pagar as obras de reparação da grande mesquita em Ardabil, norte de Persia. No Museu de Antiquities nacionais na Suécia podemos ver o " tapete Marby” feito na Turquia no começo do século XV e que foi encomendado para Estocolmo através de uma pequena cidade chamada Marby. Talvez o maior tesouro do castelo de Estocolmo seja este tapete persa do século XVI. Provavelmente foi comprado pela Suécia à Holstein-Gottorp, para a rainha Hedvig Eleonoras antes de sua união com Karl X Gustav.



Resumos Relacionados


- Conheça As Necessidades De Seu Cliente

- Www.uol.com

- O Tapete De Ouro - FÁbulas

- Diversos Tutoriais Para Diferentes Artes Manuais

- Os Fios Da Fortuna



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia