BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


A arte da ficção: orientações para futuros escritores
(John Gardner ; tradução Raul de Sá Barbosa.)

Publicidade
Toda obra de arte deve ser avaliada, primeiramente, segundo suas leis. Se não se aplicam, fracassa.[BR] De modo, que cada espectativa gerada em seu decurso, seja satisfeita.[BR] Não se fala de lapsos irrelevantes como FALKNER em ABSALOM, ABSALOM ! - em que descreve a casa do mesmo cenário, ora como de madeira, ora como de pedra.[BR] Ou na ILÍADA, onde HOMERO leva o leitor a perguntar se Aquiles ama Briseida, ou pensa numa presa de guerra como Agamenon. HOMERO oferece o que Pátroclo pensa.[BR] O escritor deve raciocinar com clareza matemática, e, por intuição, quando necessário sacrificar a precisão para realçar o essencial e minimizar o acessório.[BR] Arte é invenção. E ao artista cabe tornar aceitável o chocante, como a introdução de um fantasma em uma história super-realista.[BR] Não é de um conjunto de normas, mas de mestria que o escritor precisa. Na prática, ler (significativamente) e escrever (intensivamente), avaliando (exaustivamente). A técnica deve ser a sua própria natureza. [BR] Toda boa literatura é, de certo modo, imitação de boa literatura. E fora da universidade é quase impossível compreender HOMERO, VIRGÍLIO, CHAUCER, DANTE e outros.[BR] Ao argumento de que o escritor necessita antes de conhecimento do mundo de que iniciação literária, contrapõe-se uns vinte bons informantes que se encontram por aí, em bares, festas, ônibus e bancos de praça.[BR] Não é remando canoas, derrubando árvores ou traficando maconha, que o autor aprende a distinguir emoção de sentimentalismo.[BR] Ninguém escreverá bem, se não dominar fonética, morfologia, sintaxe, elocução, estilística, enfim, os rudimentos gramaticais.[BR] Se, se deseja inovar, se pode tomar de empréstimo a estrutura de outra arte, ou algo semelhante. RAVEL, GERSHWIN, STRAVINSKI, sublimaram a tradição popular combinando-a com a clássica.[BR] Na literatura, o inglês CHAUCER combina epopéia e romance em "KNIGHT´S TALE" . SHAKESPEARE cruza prosa e verso; convenção romana clássica e folclore inglês. ÍTALO CALVINO: ficção científica, HQ e melodramas cinematográficos. Nenhum deles escreveu para "expressar-se". Antes, para combinar formas, tipos de histórias, produzir novos efeitos.[BR] No aspecto técnico, por exemplo, a verossimilhança é o meio vital do realista. Precisa detalhar os eventos e personagens de modo que não se possa desacreditar da história. Mesmo no caso real de "IN COLD BLOOD" de TRUMAN CAPOTE.[BR] Assim, o realista CONVENCE o leitor, da verdade, e o contador de histórias o CONDUZ para a CREDULIDADE pela sedução da voz narrativa. [BR] Ninguém acredita, realmente, que Backer diz a verdade na "HISTÓRIA DO GAIO DE BACKER", de MARK TWAIN, sobre o fato do pássaro falar. Contudo, a mentira fica deliciosa, na medida do trabalho para torná-la verossímil.[BR] A voz narrativa do velho QFWFQ, em "LE COSMICOMICHE", de CALVINO, convence da sua passagem como peixe dotado de ossos e pulmões, do mar para a terra, durante a era carbonífera. É a mágica criação do sonho ficcional na mente leitora. [BR] Qualquer pessoa que trabalhe como artista e como professor, age diferentemente em cada área . Ao professor, regras comuns à maioria o guiam e garantem. Com o artista não é assim. Nenhum estudo crítico tem a guerra psíquica do clima de um romance.[BR] Por exemplo, ao leigo parecerá que a descrição serve simplesmente para explicar, oferecer idéia das personagens, identificar ambientes. A descrição faz mais que isso.[BR] Descreva um estábulo visto por um homem que acaba de perder o filho numa guerra. Os medíocres saltarão logo para imagens de morte, escuridão, opressão.[BR] Para a eficácia descritiva, o narrador escolherá, intuitivamente, as tábuas, o feno, o esterco, as cordas, o ângulo de visão, o ritmo das frases. Não há estudo lógico que defina os detalhes essenciais.[BR] A grande ficção nos faz rir e chorar como a vida: quando menos esperamos. Uma história tem de fluir naturalmente numa seqüência de causa e efeito que termine conclusivamente. Tudo, ou se resolve em esgotamento lógico, ou em ciclos contínuos como na vida. O primeiro, satisfação emocional; o segundo, intelectual.[BR] No conceito do sonho ficcional expressivo e contínuo, a ação dramática dá os sinais que fazem o leitor encostar-se em paredes, cheirar jacintos e mover-se entre as personagens e acontecimentos. A ficção ruim interrompe o sonho, para o leitor pensar na obra ou no autor.[BR] De sorte que, "No começo do século XX, estamos dentro da personagem olhando para fora. No superficcionismo contemporâneo, estamos dentro das personagens olhando para dentro.", como observa JOE D. BELLAMY. KAFKA, BORGES E BARTHELME são bons exemplos disso.[BR]



Resumos Relacionados


- Chaucer E A Piedade

- O Que é A Caracterização?

- Dom Casmurro

- O Que é Prosa Descritiva?

- A CriaÇÃo LiterÁria



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia