BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


A AÇÃO POLÍTICA DAS CLASSES DOMINANTES EM MARX E WEBER
(Leandro Vasconcelos)

Publicidade
A
AÇÃO POLÍTICA DAS CLASSES DOMINANTES EM MARX E WEBER


Este texto pretende contrapor as análises de Marx e Engels com as de Weber sobre
a ação política das camadas dominantes na sociedade capitalista moderna.
Procuramos
apreender das obras destes autores: 1- as discussões mais gerais e teóricas
sobre a ação política, mais especificamente aquilo que diz respeito às camadas
dominantes, passando pela forma como tais coletivos são pensados e definidos;
2- a forma de pensar a especificidade da ação política destes grupos; 3- as
análises de processos históricos que envolveram a ação política das camadas
dominantes.
O
objetivo é conhecer como esta questão foi tratada pelos autores e ver como as
idéias, os conceitos e as noções foram por eles próprios operacionalizados
nas análises de processos sociais concretos. Com isso, sem a preocupação de
comprovar a existência, em tais autores, de uma teoria a respeito deste assunto,
pretendemos 1- problematizar a capacidade e a eficácia analítica em relação
às formas atuais da ação política das classes dominantes e, por conseguinte,
do processo de dominação que caracteriza a sociedade capitalista; e 2-
verificar em que isso contribui para uma melhor compreensão da relação entre
a ação política das camadas dominantes e o arranjo político-institucional através
do qual se dá a relação entre sociedade e Estado, ou seja, o regime político.

O
procedimento adotado será a problematização das questões acima, a partir da
leitura e do comentário das obras clássicas dos autores em questão. Toda esta
discussão sobre a ação política de classe não pode deixar de considerar, ainda
que brevemente, as questões mais gerais acerca do conhecimento científico da
realidade social, e a interpretação sobre a sociedade capitalista subjacentes
ao pensamento dos autores. Especial atenção será dada às obras voltadas para
processos históricos, como O 18 de brumário de Luis Bonaparte e Parlamentarismo
e governo numa Alemanha reconstruída. A utilização de comentadores se dará
na medida em que tragam contribuições para as nossas pretensões.
Quanto
às contribuições de Marx e Weber a respeito da ação política das camadas dominantes,
alguns aspectos podem ser aqui, sumariamente, adiantados.
Em
primeiro lugar, das obras de Marx e Engels destacam-se: 1- a forma de propriedade
e as condições sociais da classe são fundamentais para o processo de organização
e ação política; 2- quando as condições econômicas e o modo de vida de uma classe
se opõem aos interesses e à cultura de outras classes, dá-se a classe no sentido
econômico; e quando se estabelece alguma ligação local, ou quando a similitude
de interesses leva a algum tipo de comunidade, associação ou organização política,
dá-se a classe no sentido político, ou melhor, a classe propriamente dita; 3
- não só a posse e o controle do capital, enquanto principal meio de produção,
mas também o controle das políticas de Estado, é que fazem da burguesia
a classe dominante; 4- a importância da dinâmica dos interesses materiais
que estão por trás de um conflito em torno de processos políticos — como,
por exemplo, a forma de funcionamento de instituições representativas —,
muitas vezes travestidos de conflitos entre interesses e posições políticas
ou ideológicas; 5- entretanto, é necessário tomar cuidado para não super-dimensionar
a determinação econômica, o que poderia levar à desconsideração de ações especificamente
políticas ou ideológicas pelos membros da classe; 6- nos contextos de conflito
político intenso, os grupos, instituições, alianças e processos promovem "contradições
clamorosas" (MARX, 1988) com aquilo que eram e defendiam anteriormente;
7- a importância da luta no interior das classes dominantes na mudança do regime
político e da forma de governo, e também das características do arranjo institucional
resultante (solidez, estabilidade, limitações, debilidades etc.); ou seja, a
dinâmica da luta política no interior das classes dominantes e o resultado
institucional que dela resulta, não se dão sem conflitos, mas sim num processo
de tensões entre interesses econômicos e políticos, inclusive com os demais
agentes e grupos políticos presentes; 8- quando as classes dominantes optam
por uma dada forma política, estão estabelecendo a forma como serão resolvidos
os conflitos no seu interior e também aqueles com as classes subjugadas; e dependendo
da forma escolhida, a burguesia fica mais ou menos exposta neste processo de
dominação, e o Estado pode assumir, através de seus aparelhos, maior ou menor
papel neste processo de dominação; 9- a importância da relação entre as classes
dominantes e a burocracia estatal na disputa pela definição das políticas de
Estado e na reprodução das relações de produção.
Enfim,
Marx e Engels trabalham com uma concepção de ação política, no que diz respeito
às classes dominantes, marcada por: I – a importância da dimensão econômica
e social; II - pela necessidade de obter e exercer o poder de Estado; III -
pela necessidade de organizar uma forma institucionalizada, em maior ou menor
grau, de relação entre as suas "facções", e IV - pela necessidade
de reproduzir as relações produção e de dominação.
Quanto
a Weber, podemos destacar: 1- a importância fundamental do "empresário
capitalista" no surgimento, consolidação e reprodução do capitalismo moderno,
dado que lhe cabe concentrar sob suas posses os bens de produção, além de submetê-los
a uma racionalidade de procedimentos (contabilidade) voltada para a lucratividade,
na produção de mercadorias que satisfaçam necessidades, ou, dizendo de outra
forma, a satisfação de necessidades através de atividades econômicas de caráter
lucrativo; assim, há uma ênfase mais propriamente econômica na importância atribuída
ao "empresário"; 2- isto seria o elemento econômico da posição dominante
do empresário no capitalismo moderno, enfim a posse, o controle e a utilização
capitalista dos bens de produção e a função de satisfazer, de forma lucrativa,
necessidades sociais; 3- a dominação política tem como condição que tais empresários
também controlem o "agrupamento político denominado Estado" (WEBER,
1993); 4- assim, a noção de burguesia parece mais relacionada à questão
dos interesses gerais, e conseqüentemente políticos, da classe e da ordem social
capitalista e sua posição na hierarquia social, enquanto que empresário capitalista
diz mais respeito a dimensão do agente social econômico, ou a dimensão mais
propriamente ligada à atividade econômica da burguesia, que por sua vez,
contemplaria outras categorias não-empresariais; 5- a burguesia se apresenta,
no âmbito da ação política, menos como classe e mais através da figura
do político; 6- daí a importância da relação entre este político, representante
da burguesia, e a burocracia pública, na condução do funcionamento do
Estado e da sociedade (WEBER, 1985b).
Enfim,
Weber trabalha com uma concepção de ação política, no que tange às classes dominantes
marcada por: I – a importância econômica do "empresário capitalista"
e política da burguesia, dado que esta tem que, II – através da
figura do político, III - exercer o controle sobre a burocracia do Estado
e comandar o funcionamento da sociedade.
Ainda
que não tenham produzido um enunciado conceitual, como o fez Weber, em relação
às classes sociais, Marx e Engels desenvolveram análises — com maior ou
menor preocupação teórica e política — do desenvolvimento econômico, social,
político e ideológico daquela que seria a classe que revolucionou a ordem remanescente
do feudalismo, e se tornou dominante, o demiurgo da moderna socied



Resumos Relacionados


- Aparelhos Ideológicos Do Estado

- A Teoria Marxista E As Classes Sociais

- A Ditadura Do Proletariado.

- Gramsci E A Hegemonia

- O Manifesto Do Partido Comunista



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia