BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Pacemaker
(bz70)

Publicidade
O que é um pacemaker? Um pacemaker é um pequeno dispositivo (pilha) implantado na zona peitoral esquerda/direita por baixo da pele, que emite estímulos de baixa intensidade através de sondas introduzidas no coração e que estimulam o músculo cardíaco com o intuito de manter ou regular o ritmo cardíaco. Porque é que preciso de um pacemaker? Precisa de um pacemaker porque apresenta constante ou eventualmente períodos de frequências cardíacas muito lentas (que em casos extremos poderá levar a paragem cardíaca), que comprometem a irrigação cerebral e dos restantes órgãos do nosso corpo, manifestando-se em sintomas tais como tonturas, desmaios, falta de ar, etc. Como é que é feita a preparação do doente para a cirurgia? Depois de dar entrada o doente é levado para o internamento onde é preparado para ir para o bloco. A sua preparação passa por: 1. Despir a sua roupa e vestir um bata; 2. No caso dos senhores fazer a tricotomia (depilação) da zona peitoral onde se irá colocar o pacemaker (esquerda/direita); 3. Limpeza da pele do local cirúrgico com Betadine; 4. Criação de um acesso venoso (colocação de um soro). Como é implantado um pacemaker? O Pacemaker é implantado por baixo da pele na zona peitoral sob o efeito de anestesia local e com a ajuda de fluoroscopia (espécie de raio-x). A anestesia é dada com o intuito de aliviar a dor, embora possa sentir algum desconforto e pressão no local da cirurgia. É introduzida uma sonda/duas sondas (dependendo da bradiarritmia que levou à implantação) através de uma veia até ao coração. Esta(s) sonda(s) é/são conectada(s) ao pacemaker sendo através desta(s) que o dispositivo estimula o coração regulando o ritmo cardíaco. Uma vez que se recorre a anestesia local, o doente permanecerá acordado durante toda a cirurgia podendo ouvir e comunicar com a equipa cirúrgica. Embora acordado, é utilizado um campo esterilizado não só para isolar a zona da incisão cirúrgica como para impossibilitar que o doente veja a cirurgia.A cirurgia em si é um procedimento relativamente curto durando em média 60 min. Após a colocação do pacemaker o doente regressa para o internamento onde permanece algumas horas em observação tendo alta ao fim da tarde (salvo raras excepções). Que complicações e riscos podem resultar deste procedimento? Qualquer procedimento cirúrgico pode acarretar complicações embora muito raramente as complicações típicas de uma implantação de pacemaker impliquem risco de vida, podendo, no entanto, levar a internamento ou a uma reoperação.Existe uma incidência de menos de 1% de complicações neste tipo de cirurgia. As complicações mais comuns durante a implantação são: dissecção da veia de acesso; perfuração da parede do coração; paragem cardíaca por indução de bloqueios de alto grau; indução de taquiarritmias ventriculares, derrame pleural e derrame pericárdico.As complicações mais comuns no pos-operatório englobam: hemorragia/hematoma; infecções; aderências e deslocamento de sonda(s). Que cuidados especiais se deve ter antes da implantação? · É necessário informar o seu médico da medicação que toma para que no caso de ser necessário suspender algum medicamento este explicar devidamente qual e em que período o suspende (ex: AAS; anticoagulantes, antiagregantes...). A restante medicação é tomada como em todos os dias. · Deve estar em jejum de pelo menos 8 horas antes da cirurgia (caso tenha que tomar alguma medicação no período do jejum tome o(s) comprimido(s) apenas com um pouco de água). · Apresente-se no serviço com os documentos identificadores (cartão do hospital; cartão de utente; BI) na hora combinada. O que acontece no pós-operatório imediato? Depois de acordar é natural que sinta uma ligeira dor ou desconforto no local da cirurgia. Ser-lhe-á dada medicação para aliviar as dores e atenuar esse desconforto. Permanecerá algumas horas em vigilância podendo comer algo leve depois da implantação. Salvo raras excepções, é dada alta hospitalar ao fim da tarde podendo regressar tranquilamente para casa. Ser-lhe-á prescrito medicamentos para as dores e um antibiótico que deverá tomar conforme indicações médicas até ao fim da embalagem. Que cuidados especiais a ter no pós-operatório imediato? · Durante cerca de 3 a 4 semanas após a cirurgia deve-se ter o cuidado de movimentar o menos possível o ombro do lado do pacemaker para evitar o deslocamento da(s) sonda(s). Pode-se movimentar à vontade o antebraço sendo de evitar pegar em coisas pesadas com o braço do lado do pacemaker, levantar o cotovelo mais alto do que o ombro ou dormir deitado para o lado do dispositivo. Deverá também evitar conduzir neste período de recuparação. · Deve vir-se fazer os pensos no período recomendado evitando molhar ou sujar o penso enquanto o tiver. Os pensos são feitos no hospital e na seguinte forma: o O primeiro penso é feito no segundo dia após a cirurgia; o O segundo é feito 8 dias depois (sendo na maioria das vezes retirado todos os pontos nesta altura - caso os tenha); o Se necessário é feito um terceiro penso 8 dias depois do segundo. · Nunca de deve coçar com as unhas a zona sobre o pacemaker. Caso permaneça alguma "crosta" da cicatriz não arranca-la fora. Deixe a pele sair por si (poderá colocar creme hidratante para ajudar à renovação da pele). · Terminado o processo de recuperação pós-operatório (mais ou menos um mês) pode realizar uma vida diária normal fazendo tudo o que fazia antes de colocar o dispositivo. Como é feita a vigilância do meu pacemaker? A vigilância do seu pacemaker é feita através de consultas periódicas às quais não deve faltar. A primeira consulta ao seu dispositivo será feita em média 2 ou 3 meses após a implantação sendo seguido posteriormente de 6 em 6 meses ou de ano a ano, atendendo ao modelo de pacemaker; patologia clínica ou interesse clínico (salvo raras excepções este período poderá ser encurtado como quando o clínico pretende monitorizar um parâmetro mais de perto, ex: aproximação da substituição electiva do dispositivo; efeito de um determinado fármaco, etc.). Que cuidados devo ter com o meu pacemaker? · Deve evitar coçar ou mexer constantemente na loca sob o risco de infecção; · Deve evitar pancadas bruscas sobre o pacemaker; · Deve manter uma vigilância atenta à loca e caso surgem sinais de infecção ou inflamação contactar imediatamente o seu médico (ex.: comichão frequente, picadelas frequentes; vermelhidão; deitar líquido; pele mais rígida e pouco móvel...). · Deve evitar aproximar-se de centrais/fontes de alta tensão/energia; utilizar máquinas ou equipamentos de alta energia; evitar a aproximação a fontes electromagnéticas ou de micro-ondas de frequências curtas e evitar aproximar-se das antenas das centrais de telemóveis. · Deve fazer-se acompanhar sempre do cartão de identificação do portador de pacemaker e informar sempre os profissionais de saúde que é portador deste tipo de dispositivo. Perguntas mais frequentes: · Quanto tem



Resumos Relacionados


- Tratado De Cirurgia

- Raios X Das Cirurgias Plasticas

- Http://www.faccia.pt/blog/aumento-de-nadegas/

- Rinoplastia

- Http://www.faccia.pt/blog/



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia