BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Da Obra O MAR DE SARGAÇOS
(Robertson Frizero Barros)

Publicidade
Quando vieres, enfim, depositar em mim teu olhar esvaziado em pupilas de fogo, não te negarei o derradeiro óbolo, que irei depositar com gosto em tuas mãos descarnadas. Já de há muito observo, com a calma louca dos mártires, teu ir e vir traiçoeiro entre as faces deste rio morto. E aprendi com o tempo. Tomei gosto por tuas barbas grisalhas, tuas vestes toscas e sujas, já não mais me escandalizo com tua figura aziaga. Mas me nego a entrar em tua barca E remar com teus remos, rumo ao inexorável. Deixa-me, antes, à margem, chorar meus cem anos de lágrimas amargas, ancestrais e inexplicáveis, para depois ir contigo afogar em outras águas as memórias tolas que construí vivendo à sombra do destino, mas resguardei ocultas à vontade dos deuses.



Resumos Relacionados


- Gosta De Alguém Que Te Ame

- O Homem De Várias Faces

- Os Desafios Da Vida

- Construindo Historia

- Amigos



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia