BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


HABEAS-CORPUS PARA UM SUICIDA!
(Baracho.)

Publicidade
DEUS... Todo Poderoso! É juiz de todas as coisas, atuando com a grandeza da... Justiça incontestável! Ele retira de nós as punições e as condenações prévias, resultantes de faltas anteriores à nossa chegada ao Banco dos Réus da sua Corte Celestial, em razão da nossa fraqueza de comportamento, ao bel-prazer da nossa carne perecível e vontade pusilânime e, mesclada da materialidade em confronto com o nosso espírito.Meu Pai Celestial! Acolha as nossas ações morais, todavia, não as pese junto com as nossas faltas de tino, na mesma balança de igualdade, resultante do nosso corpo em descaminho.Separe dos nossos defeitos a essência do Bem praticado, nascido e convivendo na mesma origem humana, porém, não jogue pra longe de Si, o seu filho por ter suicidado.A Alma (ou espírito) sai do corpo violentado. Levando com Ela ao julgamento, todos os bons atos que o corpo exala, pelas qualidades bondosas que em seu âmago irmana em virtude do que praticou de bem exemplar.Só será castigado o suicida que for ao julgamento celestial levando em sua alma enxovalhada pelos maus atos praticados, anteriormente, ao seu ato extremo, Isso, em razão de: Até o carvão produzir a luz e, do lodo, nascer o lírio.Meu senhor! Por qual razão um suicida não será perdoado, apenas, por ter cometido um ato de perturbação mental de pequena duração em... Desvairamento?
A seguir, um poema de minha autoria, a respeito do assunto tratado:
RÉQUIEM PARA UM SUICIDA!
Oh! Deus dos perdões impossíveis! Retire de nós o martírio dos castigosCausados por nossa carne perecívelE secionada por nossa vontade vilã.
Deposite no éter às nossas obras,Porém, não pese o nosso desatinoNa mesma balança de eqüidadeDa benfazeja alma que desgarra!
Separe do joio o trigo puroCrescido da mesma rama afim,Mas, não jogue na fogueira,O teu filho pelo gesto impuro!
Se alguém, em momento de angústia,Separa a alma do corpo carcereiro,Terá como acusador mais ferrenhoO seu passado do gesto derradeiro.
A alma sai do corpo violentadoLevando consigo ao julgamentoToda bondade que o âmago emanaPela fluidez do bem antes praticado.
Só será castigado o suicidaQue tiver a alma enlameadaPor más ações praticadasDurante a vida desregrada.
Se até o carvão gera a luz.Do lodo nasce também o lírio,Por que o suicida não irá a JesusApenas por um erro de delírio?
Sebastião Antô[email protected]: (31) 3846-6567



Resumos Relacionados


- Poesias

- Resgate Amoroso!

- Imortalidade Da Alma

- Vendaval Do... Amor!

- Prece Por Um Suicida



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia