BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Ensaio Sobre A Cegueira
(Jose Saramago)

Publicidade
Ensaio Sobre a Cegueira
José Saramago

A palavra ?ensaio? nos engana um pouco, mas pelo autor, espera-se logo que o título Ensaio Sobre a Cegueira não represente somente um escrito sobre a cegueira em si, o que é logo comprovado nos dois primeiros parágrafos que nos põem diante de uma narrativa envolvente e provocante, digna de José Saramago.
Tudo começa com a cegueira repentina de um homem ao estar parado no sinal vermelho. A luz verde acende, o carro continua parado e o buzinaço atrás dele anuncia o pandemônio que estar por vir. O homem apavorado, dentro do carro,começa a gritar que está cego e ninguém entende o que está acontecendo. Como assim, cego?. Sua cegueira é branca, um ?mar de leite? é como ele a descreve. Congestionamento, xingamento, curiosidade e pena foram somente algumas das reações à inexplicavel cegueira daquele indivíduo. Neste ponto, Saramago apresenta o que a gente vai percebendo aos poucos e confirma no final do livro: as reações do ser humano às necessidades, à incapacidade, à impotência, ao desprezo e ao abandono.
O cego no semáforo é ajudado por outro homem, que o leva em casa e rouba-lhe o carro. Mas o ladrão não tem tempo para usufruir da nova aquisição, porque a cegueira também o atinge. O médico que atende o cego, também cega, assim como cegam todos os seus pacientes presentes na sala de estar no momento em que o primeiro cego chega. E uma cadeia sucessiva de cegueira vai se formando. Uma cegueira diferente, uma ?treva branca?. O governo não demora a perceber que se trata de uma epidemia e toma providências, porém, sendo formado por seres humanos, logo extingue.
O mundo dos cegos está criado e também a luta pela sobrevivência. Alguns cegos, inicialmente isolados pela doença, conseguem se organizar, e assim, o poder, a obediência, a ganância, o carinho, o desejo, a vergonha e outras características do ser humano vão se destacando. O sentimento, a ação e a atitude de cada indivíduo passam a ser suas identidades, pois os personagens não têm nomes. Este mundo não distingue os animais, pois os racionais passam a se guiarem mais pelo instinto. O mundo tende a extinção. Felizmente, tão de repente como veio, a cegueira se vai, restando a contemplação.
(Resumo de Etna Pereira)




Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia