BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Um Estudo Em Vermelho
(Sir Arthur Conan Doyle)

Publicidade
Um Estudo em Vermelho
Escrito por Sir Arthur Conan Doyle
Analisado por Assik

No mundo inteiro dificilmente se encontrará alguém que não conheça Sherlock Holmes, talvez o mais famoso e genial detetive de todos os tempos. Durante o século 19 seu nome se tornou um ícone em quase todas as linguas do mundo, garantindo a ele mais admiração e respeito que os reais detetives da atualidade. Mas isso não surpreende pois seus métodos de investigação não podem ser imitados por ninguém.
Sherlock Holmes foi criado por Sir Arthur Conan Doyle, autor britânico, em fins do século 19. Um Estudo em Vermelho foi a primeira prova das habilidades de nosso imortal herói.
A sala de estar estava cheia de ouvintes: havia, por exemplo, alguns homens da Scotland Yard que buscavam fama e respeito dos londrinos que diriam "quão bem eles haviam investigado o caso". Subitamente dois garotos entram na sala acompanhados de um velho.
"Deixe-me apresentá-los ao assassino!", gritou Sherlock Holmes apontando o velho, que era um dos poucos proprietários de carruagem de Londres. A longa e misteriosa estória estava pronta para iniciar. O velho, Sr Jeferson Hope, não tinha nada a dizer pois era incapaz de esconder qualquer detalhe de Sherlock Holmes.
Vingança, velhos ódios e ressentimentos tinham um papel muito importante a desempenharem na estória. O caso tinha se iniciado a muito tempo atrás longe da Inglaterra, mas as consequências deste passado não morreram até Jeferson Hope estar apto a vingar o que seus inimigos haviam feito a sua amada e ao pai dela.
O Sr Hope não era um prisioneiro típico que chora, tenta lutar e recusa-se a admitir que o jogo esta terminado. Ele era um velho moribundo que não se importava com o que lhe aconteceria no futuro.O fato de seus inimigos terem pago, através de suas mãos, pelos trágicos acontecimentos do passado era suficiente. Ele queria nada mais do que contar toda a verdade e morrer redimido.
A complicada verdade torna-se clara mais tarde quando Sherlock Holmes tem a oportunidade de explicar suas investigações ao Doutor Watson. Meu livro quase caiu ao chão quando percebi quão simples tudo realmente havia sido. "O maior erro que pode ser cometido é fazer as coisas mais complicadas do que elas realmente são", Sherlock Holmes explica. Mesmo nos dias de hoje cada palavra sua ainda é verdade: as pessoas tornam tudo difícil quando elas mesmas fazem parecer difícil.
Doutor Watson, que sempre trabalhou com Sherlock Holmes tentando ajudá-lo, ficou também boquiaberto. Ele era uma pessoa muito inteligente e calma, entretanto inábil em perceber os detalhes "claros" como pegadas e cinzas de diferentes tipos de cigarro. Ele só podia escutar e observar como seu amigo trabalhava. Sherlock Holmes, que não era o companheiro ideal, estava pronto a responder qualquer pergunta. Ele não queria esconder sua genialidade e inteligencia de ninguém, mas acima de tudo, ter seus talentos notados.
Mesmo em sua vida diária o comportamento de Sherlock Holmes era quase auto didata. Ele tinha muitas opiniões fortes que todos deviam aceitar. "Eu não tenho que ser interessado em nada", era um de seus pensamentos favoritos. Emoções e relacionamentos com outras pessoas não significavam nada para ele. Doutor Watson era talvez a única excessão.
Acredito que Sherlock Holmes era, apesar de seu comportamento orgulhoso, uma pessoa que merece todo o respeito do mundo. Ele devotou sua vida a capturar assassinos e outros criminosos, fazendo seu trabalho fiel e cuidadosamente. Já seu primeiro caso "Um Estudo em Vermelho" deixa claro que ele sabia exatamente o que estava fazendo. Ele não era somente um jovem e inexperiente garoto mas um super inteligente detetive.
O texto de "Um Estudo em Vermelho" foi muito excitante e interessante até a última página. Foi quase impossível parar de ler quando eu iniciei. Cada página trazia algo novo e era impossível saber o que viria depois. Quando Sherlock Holmes apresenta o assassino, eu não pude acreditar - tinha certeza de quenada fazia sentido.
O modo como o Sr Conan Doyle conduz e descreve os eventos e pessoas em seu primeiro romance merece todo meu respeito. Suas descrições exatas me fizeram sentir como se eu fizesse parte do que estava acontecendo. Até as pessoas, descritas tão cuidadosamente, me fizeram imaginar outras coisas que não foram mencionadas: como elas falavam, que tipo de voz tinham e como elas realmente se pareciam. A linguagem era também clara e vívida com frases não muito complicadas de entender.
Se voce quer ler algo muito emocionante e que não o deixe entendiado voce deve realmente ler "Um Estudo em Vermelho" ou outras estórias de Sherlock Holmes. Com seus enigmas muito complicados eles lhe oferecerão uma boa oportunidade de voce usar sua imaginação. A resposta da pergunta "quem fez isso" nunca está escondida atrás da próxima porta; a casa inteira tem que ser investigada.



Resumos Relacionados


- As Histórias Curtas ? Completas - De Sherlock Holmes

- Um Estudo Em Vermelho

- As Aventuras De Sherlock Holmes

- Um Estudo Em Vermelho

- The Adventures Of Young Sherlock Holmes



Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia